Fralda de Pano #3

Por aqui espera-se a chegada do primo menino. E, claro, as mãos não param para acabar a tempo as nossas prendas de boas vindas.

Gosto de fraldas de pano. Gosto sobretudo porque usei muitas e porque sempre as achei úteis e com a versatilidade necessária para facilitar a minha rotina de mãe a braços com um recém nascido.

As fraldas de pano também têm um significado especial para mim porque foram as primeiras coisas que cosi e bordei sem ser em ponto cruz. Foram as fraldas de pano que me ensinaram outros pontos e me fizeram ter vontade de aprender outros pontos, e foi um desafio coser os primeiros viés nas fraldas! Foi uma escola e tanto :)

Por isso quando há bebés novos, por norma, gosto de oferecer fraldas de pano.

  DSCN2930_1

Mas esta fralda é grande, quase que serve de pequena manta, por isso pedia algo mais elaborado do que o que normalmente faço.

O carro é uma das minhas aplicações e está disponível na Loja. Optei por cosê-lo à mão, até porque o meu estúdio continua a ser um projeto em construção e as máquinas ainda não têm um lugar para ficar!

DSCN2937_1

Já a cercadura foi escolhida para lhe dar mais um ar de mantinha de verão do que de fralda. É que esta fralda é mesmo grande :) Assim é uma mantinha leve e fresca mas super confortável!

DSCN2935_1

O ponto que usei é o ponto de pom-pom e embora seja fácil é trabalhoso no sentido de demorar muito tempo a fazer. Também consome imensa lã! Um novelo de 50gr inteirinho. Se sobraram 20cm foi muito! Mas fica muito giro e dá um acabamento diferente e original.

DSCN2931_1

E é um tapa bebés bem giro e com a vantagem de ser único :) Não há nada como uma prenda feita à mão, com todo o carinho e ainda por cima exclusiva. Isto sim é um luxo!

DSCN0426_1

Fralda de Pano #2

Há que tempos que não fazia uma fralda de pano! Acho mesmo que não fiz nenhuma para a Sofia porque ainda tinha as da Mafalda e as da Teresa!

Esta foi um pedido especial e um grande desafio! Pediram-me para fazer a decoração da fralda que já trazia as pernas. Ao principio a ideia pareceu gira mas foi-me difícil encontrar um motivo que me parecesse razoável e que resultasse aqui. Não sei porquê mas embirro com as fraldas pintadas, e embirro ainda mais com o tipo de boneco meio “country” que vejo na maioria das fraldas pintadas. Não faz o meu estilo nem a minha linha de trabalho por isso ocorreu-me logo uma aplicação.

Mas não foi fácil decidir especialmente porque os meninos não são a minha praia e tive de sair da minha zona de conforto.

E lá saiu um elefante simpático!

DSCN2875_1

DSCN2877_1

Tarefa concluida!

Sereias e Tritões

Nem acredito que Fevereiro passou sem que eu tivesse tempo de passar aqui. Não é que não tivesse coisas para contar mas, isto de ser mãe de 3 encolhe-me o tempo.

Este nosso primeiro ano na aldeia está a ser cheio de vivências novas para nós e o Carnaval não foi diferente. Aqui há um desfile da escola básica na aldeia e outro maior na sede da freguesia com todas as escolas do agrupamento, o que inclui todos os jardins de infância, escolas do 1º ciclo e depois a escola do 2º e 3º ciclo. No desfile da aldeia o traje é livre, no do agrupamento o traje é escolhido dentro de um tema que é dado pela direção do agrupamento de escolas. No final do desfile estava organizado uma “color run” para os miúdos mais crescidos e foi precisamente a “color run” que ditou que cada ciclo de escolaridade tivesse uma cor a que obedecer. Assim as crianças do ensino pré escolar desfilaram de amarelo, as do 1º ciclo de azul, as do 2ºç ciclo de verde e as do 3º ciclo de Laranja.

A partir daqui cada escola escolhia o traje. E na nossa escola os trajes foram sugeridos pelas professoras e debatidos numa reunião de pais. Houve abertura para alterar as escolhas e decidir como se fariam os fatos. E trabalhando com a cor azul foi decidido que as meninas seriam sereias e os meninos tritões.

DSCN2765_1

Por isso este ano foi ano de fazer um fato de sereia. O fato foi feito em duas peças: uma saia e uma espécie de sutiã. Eu escolhi fazer o dela em forma de concha e acolchoei. Fiz uns pespontos para dar o relevo das conchas e por cima apliquei uma fita de missangas na mesma cor, só pela graça de lhe aumentar o brilho. O sutiã prende nas costas e no pescoço com fita de organza. Na saia optei por lhe fazer uns franzidos verticais para lhe dar um pouco mais de textura, já que as saias não tinham escamas nem nada que lhes desse graça.

A cabeleira loira deu-me mais trabalho! Grande parte da lã que usei nesta cabeleira veio da trança da rapunzel que fiz em 2013, e que desmanchei porque andava para lá a ocupar espaço. Na base da cabeleira está um gorro em croché onde apliquei os fios de lã. Como a Mafalda tem uma grande cabeleira escura teve de levar imensa lã para disfarçar a escuridão do cabelo dela!

E para completar o disfarce nada melhor do que uma maquilhagem a rigor! Cortesia de uma outra mãe que teve a infinita paciência de maquilhar todas estas sereias! A sorte é que a escola é pequena!

DSCN2778_1

E que vaidosa é a minha sereia!

DSCN2793_1

Acabados os preparativos sereias e tritões prepararam-se para desfilar na aldeia do lado! E o grande desafio do dia foi fazer as meninas com as saias travadas subir os degraus do autocarro! A sorte é que são leves e pequenas e pegam-se bem ao colo!

DSCN2803_1

O desfile foi giro, bem organizado e os miúdos estavam contentes. Espantou-me ver os mais velhos empenhados e divertidos no desfile, mas o espírito era mesmo de comunidade e união.

DSCN2815_1

Muito diferente da realidade de onde viemos. Mas lá esta, é uma realidade que exige uma disponibilidade que não é fácil para quem trabalha. Este ano foi só a Mafalda, porque as pequeninas estão numa IPSS e portanto não estão abrangidas pelo agrupamento. Se chegarmos ao ponto de eu ter de fazer três fatos de Carnaval em 15 dias passo a gozar férias antes do Carnaval e não durante!

E mesmo assim não correu muito mal porque este ano eu já tinha decidido não fazer fatos de Carnaval! Acho que nos anos em que o Carnaval é tão cedo como neste ano é impossível! Ainda não estava totalmente refeita das minhas maratonas Novembro-Dezembro e já estava na altura de começar a fazer fatos de Carnaval! E na verdade ainda não descobri o método certo para conseguir fazer 3 fatos de Carnaval com o pouco tempo que tenho! Mas hei-de lá chegar!

Presépio de Meias

A nossa mudança para a aldeia implicou mudar as crianças de escola e, como aqui não há colégios a Mafalda está na escola pública e as pequenas numa IPSS. Uma das grandes diferenças entre esta realidade e a que conhecíamos antes é, precisamente, o esforço que é pedido aos Pais. Nos colégios há um grande esforço financeiro mas a escola faz tudo, compra tudo, prepara tudo, acompanha o estudo dos alunos, corrige os trabalhos de casa, está tudo incluído na mensalidade (com muito poucas excepções).

Na nossa nova realidade o esforço não é financeiro mas sim de tempo: há um grande dispêndio de tempo (que tenho tanto ou menos que dinheiro!): os pais fazem tudo, preparam tudo, compram tudo. É preciso levar comida para os lanches, todas as semanas é preciso um novo material para um novo projeto, a festa de Natal também é feita pelos pais, e mais comida para levar. Vezes 3. É bom poder fazer parte da comunidade escolar e estar mais envolvida no quotidiano escolar das miúdas, mas há alturas em que as solicitações são tantas que atender a tudo passaria a ser um emprego a tempo inteiro. E eu, ao contrario de uma boa maioria desta comunidade escolar, já tenho um emprego a tempo inteiro, que me rouba o tempo para ser uma parte mais activa desta comunidade.

Um dos “desafios” desta quadra de Natal foi um concurso de presépios em que a Mafalda quis participar. É claro que ao fim de 7 anos a ver a mãe “fazer coisas” o monstro está mais do que criado (mea culpa) e não foi nada fácil escolher um projeto que fosse viável, em termos de tempo e de materiais que já tivéssemos em casa. Ela queria fazer uma coisa muito elaborada e eu entendi que o projeto deveria ser feito em grande parte por ela, mesmo que não ficasse elegível a prémio nenhum. Ela queria lã nos cabelos e panos nas roupas e claro que bonecos nasceram!

DSCN2611_1

Os bonecos foram feitos com meias de bebé que perderam os pares. Foi uma boa maneira de fazer desaparecer 6 meias sem par! A Mafalda encheu os bonecos com o enchimento de lã, cortou as rodelas de cartão na base e as respetivas rodelas de feltro e colou os olhos. Ainda a fiz coser os cabelos de um dos Reis Magos, só para ela perceber o trabalho que dá! É claro que ela não chegou a acabar mas ficou com a ideia do trabalho envolvido nisto, e sobretudo ficou com a ideia que a mãe não é nenhum mágico a tirar coelhos da cartola ou uma fada com uma varinha de condão que faz aparecer as coisas!

DSCN2613_1

E foi só pela insistência dela que o presépio teve direito a Reis Magos, porque por mim ficava-me só pela Sagrada Familia!

DSCN2614_1

Vá que até ficaram engraçados de tão patuscos que estão! Mas não dava para fazer 3 presépios, pois não?

Chapéu de bébe

Quem, em pleno século XXI, anda nas andanças das agulhas, das linhas, dos panos e afins sabe que tem um rótulo que roça o ser desocupado e o não ter mais nada de interessante para fazer, um equivalente póas moderno da “dondoca dos bordados”.

Virtualmente conheço muitas pessoas como eu, na vida “real” poucas ou quase nenhuma, o que faz de mim um ser… estranho.

Houve alturas em que isso me fez confusão, mas para mim continua a ser fenomenal ter a capacidade de fazer quando não há feito.

Ora vê. No Carnaval fomos com as miúdas apanhar ar uns dias para fora, como podes imaginar, com as 3 miúdas e mais nós os dois, é cada vez mais difícil manter a organização e não deixar nada para trás! Dessa vez deixamos ficar em casa o gorro da Sofia. E tanta falta que ela fazia…

E houve problema? Não! Não levei o chapéu de casa mas… fiz lá um chapéu! Podia ter sido em lã mas na altura estava a trabalhar em feltro e foi em feltro que o chapéu nasceu!

Foi rápido de fazer e exclusivamente com os materiais que tinha à mão. Nada de máquina de costura nem tecidos ou lãs bonitinhas, a custo zero e ainda me diverti a fazê-lo!

DSCN1880_1 DSCN1890_1 DSCN1899_1 DSCN1906_1

Fatos de Carnaval

E estamos no Carnaval! Nem vale a pena discorrer do quão depressa passa o tempo… Embora, enfim… Já estamos a chegar a Março e sinto que pouco mais fiz do que habituar-me a trabalhar outra vez!

Este é o 5 ano consecutivo que faço fatos de Carnaval para elas e, felizmente, está a ficar cada vez mais fácil. Vamos passear ao passsado?

2010 – Foi o primeiro grande desafio, a meias com a minha irmã. Um fato igual para mim e para a Mafalda e um fato igual para ela e para o meu sobrinho. Convenientemente não tenho fotografias minhas, mas foi assim que a Mafalda se apresentou nesse ano:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

2011 – Foi o ano da grande desilusão. Fiz um fato igual para as duas, desta vez de índia e o dia esteve péssimo, com direito a tempestade de trovoada e tudo. Não saímos de casa e o tempo esteve tão feio que acho que nem o vestimos. Por isso não há foto desse ano. Mas a Teresa vestiu o vestido de índia este ano e vá lá que conseguimos a foto. E o fato incluía umas botas e tudo!

DSCN1819_1

2012 – Foi o primeiro ano em que a Mafalda pediu uma máscara e escolheu a Sininho. O vestido foi muito improvisado e ficou com um ar patusco, embora acho que tenha resultado bem no conjunto. Teve direito a asas feitas de tule e foi a primeira vez que costurei um tecido de malha na minha máquina de costura. Não correu mal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

2013 – foi o ano da insanidade temporária. Conduzida pela febre “vou costurar para as minhas duas filhas” decidi fazer fatos de carnaval para as duas. A Mafalda estava no ano da Rapunzel (neste ano fiz-lhe um bolo com um metro de altura em forma de torre da rapunzel!) e foi impossível achar um tecido de cor semelhante ao da Rapunzel no filme Entrelaçados. Por isso ficou lilás. A grande trança amarela foi fácil de fazer mas regressou a casa desfeita por ter andado na cabeça de toda a criancinha da escola. E não sei bem porque, foi a primeira vez que consegui por atilhos na perfeição. Bastou-me usar um martelo!

DIY Rapunzel costume

Já para a Teresa quis fazer algo mais tradicional, mais inspirado na minha infância e nos contos tradicionais. No meu tempo mascarávamos-nos de fadas e princesas, policias e indios, bruxas e afins. Não havia isto das personagens da Disney! E assim fiz um fato de capuchinho vermelho com direito a um avental e tudo! A capa foi uma grande conquista: veludo por fora e cetim por dentro!

fato de Capuchinho Vermelho

2014 – Antevendo a dificuldade de fazer vestidos em tão pouco tempo decidi que a Teresa iria usar um dos vestidos que já tínhamos e vai daí que o escolhido foi o de palhaço. A Mafalda acabou por também querer e por isso acabei por ter de fazer um vestido. Uma versão minute made! Que só o fiz ontem à tarde para ela vestir hoje de manhã! Sem moldes. Tudo de cabeça, pano na máquina e aqui vai linha e feito com os restos dos tecidos que usei em 2010! Resultou porque é um fato de palhaço!

DSCN1846_1

Comum a todos os anos é o stress de acabar os vestidos a tempo delas os usarem na escola e a promessa de que pró ano é que vai ser. Pró ano começo a fazer os fatos em Janeiro, logo depois do inicio do ano, para ter tempo de fazer tudo, nas calmas e sem stress! Talvez para o ano!

Olhando bem, vale a pena o esforço!

DSCN1836_1

Bonecas waldorf #3

DSCN1146_1

A primeira Maria nasceu em Maio. Na minha fúria de a ver pronta demorou poucos dias a ter cabelo e cara, pernas e braços. Difícil foi vesti-la a rigor, primeiro porque quis fazer-lhe um poncho e depois porque quis fazer-lhe umas calças que só agora viram a luz do dia, e por ultimo os sapatos para completar o conjunto.

Vestida e penteada com direito a corte de cabelo e tudo, a primeira Maria está finalmente pronta!

A primeira Maria nasceu em Maio. Na minha fúria de a ver pronta demorou poucos dias a ter cabelo e cara, pernas e braços. Difícil foi vesti-la a rigor, primeiro porque quis fazer-lhe um poncho e depois porque quis fazer-lhe umas calças que só agora viram a luz do dia, e por ultimo os sapatos para completar o conjunto.

Vestida e penteada com direito a corte de cabelo e tudo, a primeira Maria está finalmente pronta!

DSCN1141_1

O resultado final é do meu agrado, afinal sempre quis uma boneca destas. Esperar 33 anos para vê-la sair das minhas mãos valeu bem a pena. Apesar de estar feliz com o resultado, o modelo da boneca precisa de alterações, em primeiro lugar no tamanho e em segundo lugar no formato dos pés. Mas para isso nascerão outras Marias.

E a próxima será bem mais pequena, não só para condizer com a cabeça, mas também para ter um tamanho mais “amigo” das crianças. É que a primeira Maria é quase do tamanho de um bebé de 3 meses bem aviado, ora vê.

DSCN1151_1

Posto isto só falta mesmo dar-lhe um nome. Ideias aceitam-se na caixa de comentários!

Bonecas Waldorf #2

DSCN1063_1

Quando me decidi a fazer a primeira boneca Waldorf (podes ler mais aqui) já sabia que tinha todo o potencial para se tornar um vicio. Claro que sendo eu como sou, desafiei-me a criar a minha própria boneca, com o meu próprio modelo. O que parece fácil afinal, uma cabeças, um tronco, dois braços e duas pernas não devem ser assim tão fáceis de fazer certo?

Talvez. Mas eu tenho um problema com as escalas. Sempre tive e já perdi a esperança de deixar de ter. Só para veres, quando era pequena havia uma cadela que na minha memória era tão grande como um pastor alemão e foi uma desilusão para mim saber que a cadela afinal não tinha mais do que dois palmos mal medidos! E se tenho de dar indicações a alguém e desenhar mapas, o mais certo é precisar de toda uma folha A3, porque começo a fazer estradas e rotundas e facilmente deixo de ter folha para chegar ao destino, e pior, se tiver de fazer uma planta de uma casa, esquece, é o desastre total!

Isto tudo para dizer que a primeira cabeça que fiz para a primeira boneca me pareceu muito pequena. Na minha visão distorcida por este problema, a boneca portadora desta cabeça ficaria muito mais pequena do que eu tinha idealizado. Então fiz uma segunda cabeça maior, e depois um corpo a condizer, e o resultada foi a boneca sobre a qual já escrevi, e que acabei por achar que era, imagina, grande demais para ser usada por crianças pequenas.

Voltei então à primeira cabeça decidida a acabá-la e a dar-lhe um corpo condigno! Comecei pelo fim, o que também é tipico de mim, e fiz-lhe o cabelo antes de tudo o resto.

Agora vou desenhar um modelo para o corpo, que sirva na perfeição esta cabeça.

Aplicações em Tecido

Hoje quero partilhar contigo uma forma simples, fácil e rápida de transformar uma coisa simples em algo mais! Já referi que é simples? E fácil? E rápido?

Então é assim:

Pegas numa coisa simples, como uma t-shirt lisa de qualquer cor que queiras. Também servem as camisolas de manga comprida, blusões de ganga, calças de ganga, saias… O que quiseres.
Escolhes um desenho qualquer, o que te apetecer, e escolhes o tamanho.
Aplicas o teu desenho na tua peça de roupa.
É tão fácil e rápido quanto isto, e o melhor é que deixas de ter uma peça de roupa simples para passares a ter uma das peças de roupa favoritas das tuas crianças. Ora vê a Teresa orgulhosamente vestida com a T-shirt do bolo, como ela lhe chama. Esta T-shirt é agora uma das suas preferidas e é certamente uma das mais baratas!

aplicações em tecido 1

Estas aplicações são muito úteis e tenho-as usado desde que comecei as minhas andanças pela costura. E têm muitas vantagens como poder comprar camisolas lisas muito mais baratas que as estampadas e decorá-las com qualquer desenho que as miudas escolham.

Estas aplicações também são uma exelente forma de esconder aquelas nódoas que por muito que te esforces já não vão sair ou remendar um rasgão ou uma zona mais gasta da roupa.

E claro também podes usar este método para fazer aplicações na tua própria roupa, basta que escolhas tecidos e desenhos ao teu gosto.

Queres ver de perto como ficou esta aplicação?

DSCN0905_1

Ah e tal… mas isso é feito com úma máquina XPTO e a minha é uma XPTO_menos_100 e não dá para isso. Nada disso, consegues fazer isto, igualzinho, desde que a tua máquina faça ponto de zig-zag, e praticamente todas fazem! Por isso não tenhas medo de não conseguires fazê-lo na tua máquina porque com as minhas direções vais fazê-lo tão bem ou melhor do que eu!

Ah e tal… mas isso é para quem tem máquina de costura e eu não tenho por isso isto não me serve para nada e eu não consigo fazer nada disto. Verdade mas em alternativa consegues fazer isto:

DSCN0952_1

Que é mais ou menos a mesma coisa mas cosido à mão. E não, não demora mais tempo e sim, é mesmo fácil, e resulta da mesma maneira. E tem o mesmo charme.

Então e como é que isto se faz? Boa pergunta! Para fazeres estas aplicações precisas:

Do meu novo tutorial “Aplicações em Tecido”. Se és subscritora do site Meias Marias já o recebeste grátis na tua caixa de correio. Se não és podes compra-lo aqui:

Aplicações em Tecido

De uma peça de roupa à tua escolha.
De um desenho para aplicar e dos materiais sugeridos no tutorial. Em alternativa podes comprar os kits de aplicações na Loja, já vêm cortados e prontos a serem cosidos, e estão disponiveis em vários tamanhos.
E essas coisas lindas e brilhantes que acrescentaste nas aplicações? O tutorial também te explica como se aplicam!

Agora só tens de por mãos à obra e transformar a tua peça simples em algo mais!

E já sabes que podes partilhar as tuas ideias na caixa de comentários aqui em cima e podes também partilhar os teus projetos acabados feitos com este tutorial!

Organizar botões

Tenho uma estranha obsessão com botões que me acompanha desde sempre. A minha avó tinha uma caixa grande, cilíndrica com imensos botões, pesava como chumbo, e eu perdia horas a por e a tirar botões, a vê-los e a revê-los, a ouvir o chocalhar dos botões como se fosse uma sinfonia mágica.

Mais tarde calhou-me a mim organizá-los em caixinhas e dividi-los por cores, quando comecei a sofrer as primeiras febres da organização!

Curiosamente os botões não fazem parte do meu legado e creio que continuam todos arrumadinhos em casa da minha mãe. O que quer dizer que até à bem pouco tempo tinha poucos botões, só os que vêm na roupa para substituição!

Há pouco mais de um mês fui contactada por uma senhora que se estava a desfazer dos materiais da restrosaria de um familiar (mais uma loja a fechar) e acabei por lhe comprar, entre outras coisas, as “sobras” de botões colecionadas ao longo dos anos.

O que me deixa com um grande “problema” nas mãos! Como é que se organiza de forma eficiente tanto botão?! Pesquisei no Pinterest e embora os botões em frascos e jarras me seduzam, continuo a achar que é uma solução muito eficaz para decoração mas nada viável para uma “costureira”.

organizing buttons 1

Para já estão todos divididos por cor enquanto procuro uma solução eficaz para os organizar de forma a que quando precisar de um botão não tenha de despejar as caixas e os frascos à procura de uma agulha num palheiro.

organizing buttons 2

E tu? Como organizas os teus botões?

E então o que decidi eu sobre a organização dos meus botões?

organizing buttons 3

Sempre a solução mais obvia! Recriar os cartões de antigamente onde os botões, as molas e os colchetes vinham cosidos. Muito em estilo vintage e cheios de charme!

Para mim funciona melhor do que qualquer outra solução porque assim tenho os botões sempre debaixo de olho, sei exactamente o que tenho e quantos tenho, e é só escolher.

É claro que consome tempo a coser os botões nos cartões, mas isso permite organizá-los e juntá-los por cor, forma e tamanho, como numa retrosaria antiga!

organizing buttons 4

E ficam tão lindos! É uma mariquice eu sei, mas eu, que sou tão obcecada por botões, não consigo para de olhar para eles, e tem sido melhor do que terapia coser os botões nos cartões, escolhe-los, juntá-los, organizá-los…

organizing buttons 5

E porque me faz sorrir ver os meus botões vou partilhar os cartões contigo, para que os possas imprimir no conforto do teu lar e para que possas organizar os teus botões desta maneira. Aqui encontrarás um ficheiro .pdf com cerca de 9MB e 9 páginas de cartões. Tens 36 cartões diferentes para escolheres e usares na organização dos teus botões.

organizing buttons 6

E já sabes, quando acabares de organizar os teus botões tira-lhes uma bonita fotografia para partilhares comigo, e com quem me lê o teu trabalho!

Agora mãos à obra! Descarrega os cartões em .pdf no botão abaixo!

Cartões para botões