Sereias e Tritões

Nem acredito que Fevereiro passou sem que eu tivesse tempo de passar aqui. Não é que não tivesse coisas para contar mas, isto de ser mãe de 3 encolhe-me o tempo.

Este nosso primeiro ano na aldeia está a ser cheio de vivências novas para nós e o Carnaval não foi diferente. Aqui há um desfile da escola básica na aldeia e outro maior na sede da freguesia com todas as escolas do agrupamento, o que inclui todos os jardins de infância, escolas do 1º ciclo e depois a escola do 2º e 3º ciclo. No desfile da aldeia o traje é livre, no do agrupamento o traje é escolhido dentro de um tema que é dado pela direção do agrupamento de escolas. No final do desfile estava organizado uma “color run” para os miúdos mais crescidos e foi precisamente a “color run” que ditou que cada ciclo de escolaridade tivesse uma cor a que obedecer. Assim as crianças do ensino pré escolar desfilaram de amarelo, as do 1º ciclo de azul, as do 2ºç ciclo de verde e as do 3º ciclo de Laranja.

A partir daqui cada escola escolhia o traje. E na nossa escola os trajes foram sugeridos pelas professoras e debatidos numa reunião de pais. Houve abertura para alterar as escolhas e decidir como se fariam os fatos. E trabalhando com a cor azul foi decidido que as meninas seriam sereias e os meninos tritões.

DSCN2765_1

Por isso este ano foi ano de fazer um fato de sereia. O fato foi feito em duas peças: uma saia e uma espécie de sutiã. Eu escolhi fazer o dela em forma de concha e acolchoei. Fiz uns pespontos para dar o relevo das conchas e por cima apliquei uma fita de missangas na mesma cor, só pela graça de lhe aumentar o brilho. O sutiã prende nas costas e no pescoço com fita de organza. Na saia optei por lhe fazer uns franzidos verticais para lhe dar um pouco mais de textura, já que as saias não tinham escamas nem nada que lhes desse graça.

A cabeleira loira deu-me mais trabalho! Grande parte da lã que usei nesta cabeleira veio da trança da rapunzel que fiz em 2013, e que desmanchei porque andava para lá a ocupar espaço. Na base da cabeleira está um gorro em croché onde apliquei os fios de lã. Como a Mafalda tem uma grande cabeleira escura teve de levar imensa lã para disfarçar a escuridão do cabelo dela!

E para completar o disfarce nada melhor do que uma maquilhagem a rigor! Cortesia de uma outra mãe que teve a infinita paciência de maquilhar todas estas sereias! A sorte é que a escola é pequena!

DSCN2778_1

E que vaidosa é a minha sereia!

DSCN2793_1

Acabados os preparativos sereias e tritões prepararam-se para desfilar na aldeia do lado! E o grande desafio do dia foi fazer as meninas com as saias travadas subir os degraus do autocarro! A sorte é que são leves e pequenas e pegam-se bem ao colo!

DSCN2803_1

O desfile foi giro, bem organizado e os miúdos estavam contentes. Espantou-me ver os mais velhos empenhados e divertidos no desfile, mas o espírito era mesmo de comunidade e união.

DSCN2815_1

Muito diferente da realidade de onde viemos. Mas lá esta, é uma realidade que exige uma disponibilidade que não é fácil para quem trabalha. Este ano foi só a Mafalda, porque as pequeninas estão numa IPSS e portanto não estão abrangidas pelo agrupamento. Se chegarmos ao ponto de eu ter de fazer três fatos de Carnaval em 15 dias passo a gozar férias antes do Carnaval e não durante!

E mesmo assim não correu muito mal porque este ano eu já tinha decidido não fazer fatos de Carnaval! Acho que nos anos em que o Carnaval é tão cedo como neste ano é impossível! Ainda não estava totalmente refeita das minhas maratonas Novembro-Dezembro e já estava na altura de começar a fazer fatos de Carnaval! E na verdade ainda não descobri o método certo para conseguir fazer 3 fatos de Carnaval com o pouco tempo que tenho! Mas hei-de lá chegar!

Fatos de Carnaval

E estamos no Carnaval! Nem vale a pena discorrer do quão depressa passa o tempo… Embora, enfim… Já estamos a chegar a Março e sinto que pouco mais fiz do que habituar-me a trabalhar outra vez!

Este é o 5 ano consecutivo que faço fatos de Carnaval para elas e, felizmente, está a ficar cada vez mais fácil. Vamos passear ao passsado?

2010 – Foi o primeiro grande desafio, a meias com a minha irmã. Um fato igual para mim e para a Mafalda e um fato igual para ela e para o meu sobrinho. Convenientemente não tenho fotografias minhas, mas foi assim que a Mafalda se apresentou nesse ano:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

2011 – Foi o ano da grande desilusão. Fiz um fato igual para as duas, desta vez de índia e o dia esteve péssimo, com direito a tempestade de trovoada e tudo. Não saímos de casa e o tempo esteve tão feio que acho que nem o vestimos. Por isso não há foto desse ano. Mas a Teresa vestiu o vestido de índia este ano e vá lá que conseguimos a foto. E o fato incluía umas botas e tudo!

DSCN1819_1

2012 – Foi o primeiro ano em que a Mafalda pediu uma máscara e escolheu a Sininho. O vestido foi muito improvisado e ficou com um ar patusco, embora acho que tenha resultado bem no conjunto. Teve direito a asas feitas de tule e foi a primeira vez que costurei um tecido de malha na minha máquina de costura. Não correu mal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

2013 – foi o ano da insanidade temporária. Conduzida pela febre “vou costurar para as minhas duas filhas” decidi fazer fatos de carnaval para as duas. A Mafalda estava no ano da Rapunzel (neste ano fiz-lhe um bolo com um metro de altura em forma de torre da rapunzel!) e foi impossível achar um tecido de cor semelhante ao da Rapunzel no filme Entrelaçados. Por isso ficou lilás. A grande trança amarela foi fácil de fazer mas regressou a casa desfeita por ter andado na cabeça de toda a criancinha da escola. E não sei bem porque, foi a primeira vez que consegui por atilhos na perfeição. Bastou-me usar um martelo!

DIY Rapunzel costume

Já para a Teresa quis fazer algo mais tradicional, mais inspirado na minha infância e nos contos tradicionais. No meu tempo mascarávamos-nos de fadas e princesas, policias e indios, bruxas e afins. Não havia isto das personagens da Disney! E assim fiz um fato de capuchinho vermelho com direito a um avental e tudo! A capa foi uma grande conquista: veludo por fora e cetim por dentro!

fato de Capuchinho Vermelho

2014 – Antevendo a dificuldade de fazer vestidos em tão pouco tempo decidi que a Teresa iria usar um dos vestidos que já tínhamos e vai daí que o escolhido foi o de palhaço. A Mafalda acabou por também querer e por isso acabei por ter de fazer um vestido. Uma versão minute made! Que só o fiz ontem à tarde para ela vestir hoje de manhã! Sem moldes. Tudo de cabeça, pano na máquina e aqui vai linha e feito com os restos dos tecidos que usei em 2010! Resultou porque é um fato de palhaço!

DSCN1846_1

Comum a todos os anos é o stress de acabar os vestidos a tempo delas os usarem na escola e a promessa de que pró ano é que vai ser. Pró ano começo a fazer os fatos em Janeiro, logo depois do inicio do ano, para ter tempo de fazer tudo, nas calmas e sem stress! Talvez para o ano!

Olhando bem, vale a pena o esforço!

DSCN1836_1